Ocorreu um erro neste gadget

Bem Vindos

Estamos esperando por você! Ligue para descobrir como podemos ajudar você a ter uma vida mais saudável.

Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de março de 2011

Acupuntura no Esporte

A Acupuntura é uma grande aliada dos atletas de hoje. Amplamente utilizada por atletas chineses e japoneses e recentemente descoberta pelos esportistas ocidentais, a Acupuntura contribui de forma eficaz na performance, diminuição das dores e da sensação de fadiga. Com sua função de equilíbrio energético, de melhora no fluxo sanguíneo (clique no link para ler o artigo inteiro)

quinta-feira, 10 de março de 2011

Eficácia comprovada

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lista 41 doenças que apresentaram excelentes resultados com o tratamento de acupuntura. (Clique nas fotos para ampliar a imagem)



Entre em contato conosco para saber como podemos ajudar voce.

O alívio das agulhas

Estudo revela que acupuntura é mais eficiente do que remédios para tratar a dor nas costas


Um estudo realizado por médicos da Universidade de Regensburg, na Alemanha, acaba de mostrar pela primeira vez que sessões regulares de acupuntura podem dar melhores resultados do que os remédios convencionais no alívio da dor lombar crônica (clique no link para saber mais)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Veja como atletas recorrem a acupuntura.

Acupuncture helps energize Hammel

SCOTTSDALE, Ariz. — Coors Field has made plenty of pitchers want to stick a fork in their eye. But needles in their body?




After a forgettable finish last season, Rockies right-hander Jason Hammel turned to acupuncture and herbs. He did so at his wife's suggestion, openly searching for a way to combat a dead arm and lacking energy that he traced to cholesterol medication. (clique no link para ler a mais)


quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Cancer de próstata.

Hoje temos conhecimento para afirmar que o câncer de próstata e um dos tumores que mais amedronta homens com mais de 50 anos. Mas com o avanço da medicina e principalmente se for diagnosticado no inicio, hoje se pode esperar um índice de cura em torno de 95%. Mas para que isso seja possível, e muito importante que todos os homens a partir dos 40 anos de idade visitem anualmente seu medico urologista para efetuar os exames de rotina ( PSA + Ultrasom da próstata + exame de toque). Exames estes que são indolores e podem ser realizados com certa facilidade e podem salvar a vida de milhares de pessoas. Confira o Artigo publicado no site da PROMED -  Serviços Médicos e Hospitalares – que fala sobre o assunto e apresenta índices de cura de ate 95%.

 ( clique no link para ler o artigo na integra)

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

EMAGRECIMENTO COM ACUPUNTURA

A ARTE DE PERDER PESO SEM PASSAR FOME

A obesidade é hoje a causa de uma infinidade de doenças.
Quando se fala em obesidade é sempre bom ressaltar que comemos não só por necessidade mas também por prazer.
É necessário que se trate um "gordinho" como alguém que gosta compulsivamente de comer.
Em minha experiência clínica, pude observar que todo obeso tem seu lado 'pinóchio'. (Click no link para ler mais).

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Acupuntura para depressão e ansiedade

Ansiedade e depressão são as doenças que, literalmente, tornaram-se parte integrante de nossas vidas. Para as pessoas que sofrem de depressão e de ansiedade sua vida é um fardo. Sua mente está cheia de medos e de pensamentos negativos. São incapazes de lidar com o stress ou de se concentrar em qualquer trabalho devido à falta de interesse, e algumas pessoas ainda mostram tendências suicidas. (Clique no link).

Acupuntura para reduzir medidas

A milenar medicina chinesa afirma que todas as alterações físicas e psicológicas de uma pessoa são causadas por desequilíbrios entre as energias Yin e Yang. Com a beleza não é diferente. A chamada acupuntura estética é capaz de tratar tanto o rosto como o .......(clique no link).

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Mais Exercicios e Menos Remedios....

Mais exercícios, menos remédios.




Um estudo verificou que mulheres acima de 60 anos que praticam 150 minutos por semana de atividades físicas moderadas, como caminhadas, consomem menos remédios em comparação às que não têm o mesmo hábito.

A conclusão é de Leonardo José da Silva, no trabalho de mestrado “Relação entre nível de atividade física, aptidão física e capacidade funcional em idosos usuários do programa de saúde da família”, realizado na Universidade Federal de São Paulo com Bolsa da FAPESP.



Silva acompanhou 271 mulheres com idade acima de 60 anos que participaram do Programa de Saúde da Família, organizado pela Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. As participantes que cumpriram um programa de exercícios variados de no mínimo 150 minutos semanais apresentaram consumo de medicamentos 34% menor em comparação às mais sedentárias.



“Esse tempo mínimo de exercícios de 2,5 horas semanais é preconizado pela American Heart Association e pelo American College of Sports Medicine”, disse Silva à Agência FAPESP. Com menos de 10 minutos semanais de atividade física o indivíduo é considerado sedentário e entre 10 minutos e 150 minutos de exercícios por semana ele é categorizado como insuficientemente ativo.

Os resultados do estudo de Silva foram apresentados em maio no 3th International Congress Physical Activity and Public Health realizado em Toronto, no Canadá.



Silva contou com uma parceria entre a Unifesp e o Centro de Estudos de Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (Celafiscs). Guiomar Silva Lopes, professora do Departamento de Medicina Preventiva da Unifesp e orientadora de Silva, considera o programa oferecido pela cidade paulista aos idosos uma valiosa fonte de pesquisa. “Trata-se de uma população pequena e estável, o que facilita o acompanhamento dos participantes durante prazos mais longos”, disse.



As atividades físicas disponibilizadas incluem caminhadas, exercícios de aprimoramento de força muscular, equilíbrio, flexibilidade e capacidade aeróbica. Há também visitas domiciliares feitas por agentes de saúde, nas quais os idosos são incentivados a praticar atividades físicas frequentes, como ir ao mercado ou fazer um passeio a pé.



O consumo de remédios das participantes da pesquisa foi avaliado por meio do cadastro da Secretaria Municipal da Saúde de São Caetano do Sul. Na base de dados estão registradas informações relevantes sobre todos os participantes do Programa de Saúde da Família, incluindo os medicamentos consumidos regularmente.



Segundo Guiomar, os resultados do estudo poderão subsidiar políticas públicas que incentivem a atividade física visando à prevenção e controle das doenças crônicas associadas ao envelhecimento, reduzindo despesas com medicações e internações.

“Podemos perceber a importância desse estudo ao constatar que o idoso consome, no mínimo, cinco medicamentos associados a doenças ligadas ao envelhecimento”, disse a orientadora.



A relação causa e efeito entre atividade física e consumo de medicamentos ainda está sendo estudada. A redução dos níveis de pressão arterial proporcionada pela atividade física é uma das hipóteses levantadas pelo estudo de Silva, uma vez que a doença é uma das mais comuns entre a população idosa, estando presente em mais da metade das pessoas acima de 60 anos.



O diabetes, com prevalência de 25% entre idosos, é outra enfermidade afetada pelo nível de atividade física. “Há estudos indicando que exercícios respiratórios aumentam a sensibilidade do organismo à insulina”, comentou a professora da Unifesp.

O efeito é importante para as pessoas em cujos organismos a insulina não atua de maneira eficiente. “A resistência à insulina tem alta prevalência na população idosa e se caracteriza pela menor resposta à insulina, com aumento discreto da glicemia e da insulinemia. Estes fatores juntos contribuem para a obesidade e o aumento do risco de doenças cardiovasculares”, disse.



As mulheres são as que mais se beneficiam da prática de atividades físicas, no caso levantado em São Caetano do Sul. Guiomar conta que a pesquisa se restringiu ao público feminino porque ele representa a grande maioria dos participantes do programa.

A professora ressalta que não são completamente conhecidas as razões que levam a menor participação masculina nessas atividades. “Sabemos que a mulher tem expectativa de vida um pouco maior do que a do homem, aumentando a freqüência de mulheres viúvas e sozinhas, porém esse fato não explica a absoluta ausência masculina”, disse.



Segundo Silva, o estudo destaca o fortalecimento da medicina preventiva, área que se encontra em crescimento e tem laços com a educação física. “A prescrição de medicamentos ainda é preponderante na prática médica. Podemos diminuir esse consumo de remédios com métodos de prevenção baratos e simples como a atividade física”, sugeriu.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo.

Desejamos a todos um feliz 2011 e que este ano seja repleto de realizações para todos.